A Política das Mulheres – 4ª edição

23 de setembro de 2020

A mesa virtual ‘A Política das Mulheres’, na luta para “ALCANÇAR A IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAR TODAS AS MULHERES E MENINAS” (5º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável – ODS da Agenda 2030) no canal Flitoral/Youtube, em parceria com Paraty.com e Núcleo Paraty, frutificou um rico debate entre mulheres, sobre suas experiências e vivências na luta a favor da igualdadede direitos e de gênero, que as levaram à superação e ao empoderamento – chega à sua 4ª edição, que acontecerá na sexta-feira, 25/09.

Com moderação de Lia Capovilla a roda de conversa terá participação de Eliene Alves de Souza – Jornalista, pela PUC-RJ e Pedagoga pelo ICEIA- Instituto Central de Educação Isaías Alves – BA; Flávia Alves – chef restaurante Quintal de Mãe; Thaiara da Costa Bráz Leite – Pedagoga com especialização em educação infantil Waldorf; Dayse Nascimento – Mestre em Artes Cênicas pela UniRio. Atriz com formação em Escola de Dança Angel Vianna, graduada em Universidade La Sapienza di Roma e coordenadora da EspressartBrasile: Rede Mediação Cultural Escola Comunidade; Cláudia Regina Lemes – Doutoranda em Ciências Sociais pelo Instituto de Psicologia da USP – IPUSP e fundadora do Instituto de Estudos Femininos.

De Hipátia a Marielle – A Política das Mulheres

Esse debate busca derrubar a máxima de Aristóteles no livro ‘A Política’, para quem a mulher é uma dependente natural do marido, cujo lugar é a casa, e seu papel é exercer deveres de esposa e mãe; Alcançar a proposta de Sócrates, em ‘A República de Platão’, em que  mulher deve ocupar a função de guardiã dos bens da comunidade ao lado do homem.


Hipátia de Alexandria à

Marielle Franco

E, com isso, e em busca da verdade, sempre: ser respeitada em suas escolhas, opiniões, sem: misoginia, hostilidades machistas, racistas ou capitalistas, assédios morais ou sexuais, agressões sutis em casa, no trabalho, em suas comunidades; ultrapassar e banir de vez as violências sofridas por milhares delas, retratadas aqui com o extremo do assassinato da filósofa e astrônoma, da escola neoplatônica grega do Egito, reconhecida como a primeira mulher matemática, Hipátia de Alexandria (8 de março de 415), por cristãos; das fogueiras da inquisição; e da execução da socióloga e política brasileira, a vereadora Marielle Franco, em 2018, no Rio de Janeiro

O eco desse grito milenar, que ressoa sobre o céu das nossas cabeças, repercutidos nestes encontros, clamam para que ‘a  Política das Mulheres’ possa, definitivamente,  ‘ALCANÇAR A IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAR TODAS AS MULHERES E MENINAS’.

Agenda 20 30 – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável ODS 5

5.1 Acabar com todas as formas de discriminação contra todas as mulheres e meninas em toda parte

5.2 Eliminar todas as formas de violência contra todas as mulheres e meninas nas esferas públicas e privadas, incluindo o tráfico e exploração sexual e de outros tipos

5.3 Eliminar todas as práticas nocivas, como os casamentos prematuros, forçados e de crianças e mutilações genitais femininas

5.4 Reconhecer e valorizar o trabalho de assistência e doméstico não remunerado, por meio da disponibilização de serviços públicos, infraestrutura e políticas de proteção social, bem como a promoção da responsabilidade compartilhada dentro do lar e da família, conforme os contextos nacionais

5.5 Garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública

5.6 Assegurar o acesso universal à saúde sexual e reprodutiva e os direitos reprodutivos, como acordado em conformidade com o Programa de Ação da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento e com a Plataforma de Ação de Pequim e os documentos resultantes de suas conferências de revisão

5.a Realizar reformas para dar às mulheres direitos iguais aos recursos econômicos, bem como o acesso a propriedade e controle sobre a terra e outras formas de propriedade, serviços financeiros, herança e os recursos naturais, de acordo com as leis nacionais

5.b Aumentar o uso de tecnologias de base, em particular as tecnologias de informação e comunicação, para promover o empoderamento das mulheres

5.c Adotar e fortalecer políticas sólidas e legislação aplicável para a promoção da igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas em todos os níveis

EXPEDIENTE:

Publicação Editoração e Comunicação – CNPJ 13701141/0001- 83; Inscrição Municipal – 43168;Jornalista Responsável – Carlos Dei S. Ribas – MTb/RJ 15.173; Conselho Editorial – João Bosco Gomes, Carlos Dei S. Ribas, Domingos M. Oliveira; Telefone – (24) 3371-9082  –  WhatsApp (24) 99972-1228; Email: flitoral21@gmail.com

** As opiniões nos artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente a opinião do jornal.

Folha do Litoral Costa Verde