Comunidade de São Gonçalo enfrenta o Convid-19

12 de abril de 2020

Diante da situação caótica provocada pela pandemia do Coronavírus, o líder comunitário, Vagno Martins, reafirma o compromisso da comunidade de São Gonçalo com os princípios estabelecidos pelo projeto Médico de Família, implementado no município pelo Comamp. Ressalta o legado deixado por este com os Postos de Saúde, mas, lamenta a perda da essência dos Agentes de Saúde que se integravam à rotina dos comunitários, conclamando a volta dos mesmos.

Para se proteger, a comunidade de São Gonçalo segue as orientações de isolamento social, decretos municipais, a partir dos quais se fechou o acesso local para controle de fluxo de pessoas, o que tem dado certo até então.

Membro do Projeto Pararaty e Vivência São Gonçalo, Vagno Martins analisa a crise no turismo de Base Comunitária com realismo, admitindo que, apesar do amparo que as famílias estão tendo do governo federal e das cestas básicas de Paraty, as pessoas estão sofrendo com as perspectivas negativas dessa realidade de pandemia e, mesmo quando normalizar a questão do turismo nacional se colherá impactos negativos, uma vez que se trabalha com agricultura familiar. Isso é preocupante ao seus ver e buscam alternativas para construir ações de proteção para essas famílias, especialmente de saúde.

Em relação ao agroecoturismo, Vagno acredita ser possível uma auto-sustentabilidade alimentar do município, com a produção agroecológica implantada ainda com o Comamp, a pesca, etc, faltando apenas políticas públicas para tal.

Pensando na economia e segurança do município, Vago Martins acha que, assim como há anos, as Associações de Moradores e o Comamp devem assumir o protagonismo nesse período difícil, para que as comunidades unidas possam pressionar e influir na tomada de decisões do poder público para implementação de políticas públicas em favor de um desenvolvimento sustentável, que contemple a economia e a saúde e o bem estar da população.

Por fim, Vagno Martins faz um apelo para que o turista e o veranista respeitem esse momento da comunidade!.
“Vamos continuar fazendo nossa proteção, sempre pensando que isso vai passar e logo, logo estaremos todos juntos, podendo nos abraçar novamente”.

Folha do Litoral Costa Verde