O fantástico romance da Arca de Noé e outros cordéis

3 de outubro de 2020


Partindo da Cidade de Pombal (Interior da Paraíba), onde nasceu o poeta-cordelista Leandro Gomes de Barros, seguimos Sertão adentro de sua abra, até Recife-PE, onde o mesmo acaba reconhecido como Pai do Cordel Brasileiro.

Daí em diante, a bordo do Trem das Letras, viajamos rumo à Mangaratiba-RJ. Feita a Roda de Leituras do Mundo, já estamos no Estádio, onde um Narrador (Loucutor de Chutebol), para não perder a função de
locutor da partida (quando ele acrescenta letra a uma palavra, no campo, o melhor time leva um gol), propõe substituir os números dos jogadores pelas letras do alfabeto. Assim, ao ver tantos desenhos letrais correndo velozmente pelo campo, não mais atravessa o Tempo Narrativo.
Por fim, o jogo vira: vitória do melhor time e do narrador. Bola da vez é o amor. Amor ao Tempo
em que os Bichos Falavam: Com a palavra, Jericó, um jumento recriado dos Contos de Fadas. Sua Jornada se encerra com o verso: “Era uma Vez em Oeste de Cá”. O cainho agora é: De Volta à Festa No Céu, quando Senhora remenda o Sapo, que teria caído da FESTA… NO CÉU, e o manda cantar pra subir… (carta na boca, para o Divino assinar, decretando permanente Festa literária na Terra). “Decreto assinado/na boca lacrado”, o Sapo,
no seu triunfal retorno a Terra, “Dá Um pulo na Espanha/Outro em Itororó/… Encontra festa tamanha, no Sertão de Caicó…
Pronto! Vamos para um Romance Fantástico? Dia de São José (19 de março) Segundo prevê o Boi-Bumbá-de-Memória, há de chover nos Sertões dos Brasis, se a Fauna – do Calango Ritmista à Lagartixa – cantar em coro afinada, às margens do Velho-Chico.
Fantástico Romance da Arca de Noé!

Adquira o seu exemplar

https://proverboeditora.com.br/produto/o-fantastico-romance-da-arca-de-noe-e-outros-cordeis/

Folha do Litoral Costa Verde