A Política das Mulheres

3 de setembro de 2020

Para promover o 5º objetivo do Desenvolvimento Sustentável – ODS da Agenda 2030, que propõe “ALCANÇAR A IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAR TODAS AS MULHERES E MENINAS”, a roda  de conversa –  ‘A Política das Mulheres’,  mediada por Lia Capovilla, teve a participação de Juçara Braga – Jornalista, Gabriella Gouveia – Advogada, Grazzielle Zacaro – Engª Florestal e Produtora Rural,  Ladjane Silva – Diretora da Cooperativa Serra do Mar,  Claudia Ribeiro – Atriz e Cantora, Ivanilde Kerexu – líder indígena. O evento será transmitido pelo canal Flitoral Youtube em parceria com Paraty.com e Núcleo Paraty, na sexta-feira, 4 de setembro às 20h.

Política das Mulheres

Aristóteles, no livro ‘A Política’, coloca a mulher numa posição de dependência natural em relação ao marido, em que o lugar da mulher era em casa e o seu papel não excedia a dimensão dos deveres de esposa e mãe. Sócrates, no livro ‘A República de Platão’, traz  uma proposta original e inovadora sobre o papel da mulher no funcionamento da Pólis, igualmente ocupando, ao lado do homem, a função de guardiã dos bens da comunidade.

Hipátia de Alexandria, (8 de março de 415), uma filósofa, astrônoma, da escola neoplatônica grega do Egito, foi  reconhecida como a  primeira mulher matemática. Quando lhe perguntavam por que jamais se casara, respondia que já era casada com a verdade. E por amar a verdade, foi assassinada por uma multidão de cristãos, depois de ser acusada de heresia.


Hipátia de Alexandria

Marielle Franco

Fazendo um salto histórico de mil e quinhentos anos, de Hípátia a Marielle, não podemos esquecer as milhares de mulheres que foram hostilizadas nas fogueiras da inquisição, nas senzalas, nas fábricas da revolução industrial, nas guerras, nos campos de concentração, nos quartéis sombrios da ditadura, em suas comunidades, em suas próprias casas, simplesmente por buscarem a liberdade de pensamento e novos modos de vida. Entretanto, este grito  milenar ecoa sobre o céu das nossas cabeças, clamando para que ‘a  Política das Mulheres’ possa, definitivamente,  ‘ALCANÇAR A IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAR TODAS AS MULHERES E MENINAS’.

Agenda 20 30 – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável ODS 5


5.1 Acabar com todas as formas de discriminação contra todas as mulheres e meninas em toda parte

5.2 Eliminar todas as formas de violência contra todas as mulheres e meninas nas esferas públicas e privadas, incluindo o tráfico e exploração sexual e de outros tipos

5.3 Eliminar todas as práticas nocivas, como os casamentos prematuros, forçados e de crianças e mutilações genitais femininas

5.4 Reconhecer e valorizar o trabalho de assistência e doméstico não remunerado, por meio da disponibilização de serviços públicos, infraestrutura e políticas de proteção social, bem como a promoção da responsabilidade compartilhada dentro do lar e da família, conforme os contextos nacionais

5.5 Garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública

5.6 Assegurar o acesso universal à saúde sexual e reprodutiva e os direitos reprodutivos, como acordado em conformidade com o Programa de Ação da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento e com a Plataforma de Ação de Pequim e os documentos resultantes de suas conferências de revisão

5.a Realizar reformas para dar às mulheres direitos iguais aos recursos econômicos, bem como o acesso a propriedade e controle sobre a terra e outras formas de propriedade, serviços financeiros, herança e os recursos naturais, de acordo com as leis nacionais

5.b Aumentar o uso de tecnologias de base, em particular as tecnologias de informação e comunicação, para promover o empoderamento das mulheres

5.c Adotar e fortalecer políticas sólidas e legislação aplicável para a promoção da igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas em todos os níveis




Folha do Litoral Costa Verde