Paraty, Ilha Grande (Angra) Ilhabela e Ubatuba se unem por um turismo integrado, regional, nacional e internacional

23 de junho de 2020

Visando ao intercâmbio do turismo regional, nacional e internacional após a pandemia do Covid-19, foi criado o projeto interestadual de turismo “Rota Verde Azul” pelos Associados dos ‘conventions bureaus’ de Paraty, Ilha Grande (Angra) Ilhabela e Ubatuba, contemplando uma diversidade de eventos e ações nas regiões litorâneas sul fluminense e norte paulista, que ficam entre os principais aeroportos internacionais do país.

Em entrevista ao programa Fala Comunidade do Flitoral, o presidente do ‘Convention Bureau’ de Paraty Eric Porto falou sobre esta iniciativa.

– Os ‘conventions bureaus’ se uniram para criar o projeto “Rota Verde e Azul”, integrando as cidades de Paraty e Ilha Grande (Angra), Ilhabela, Ubatuba, dentro do contexto de divulgação e venda dos destinos. Através destas Associações distintas em cada cidade, “começamos um trabalho de integração, isso mostra que o setor mais afetado, o turismo, está abraçando a oportunidade de ser o setor mais unido”, o que os levou a trabalhar a divulgação dos quatro destinos e, futuramente, o de outras cidades, como São Sebastião e Caraguatatuba, “no intuito de movimentar o destino Paraty”, numa conexão com os demais, potencializando a “venda da nossa região, após a pandemia”, principalmente para o turismo interno e, posteriormente, o turismo internacional.

Em relação à segurança do turista e das comunidades, com a presença do  Bureau de Paraty (o que aconteceu também nos outros) a discussão dos protocolos. “O fato de os governos terem sinalizado com a padronização de protocolos, criando um selo no RJ e em SP, a discussão ficou paralisada, aguardando a concretização de tais protocolos, que serão usados na nossa estratégia de divulgação e de venda do destino, como um destino que cuida da saúde e que trabalha para o cuidado de todos os visitantes”. Depois desses protocolos prontos, afirmou, tomarão alguns cuidados, “que são mais particulares dentro dos negócios” que integram o trade turístico de Paraty, Ilhabela, Ilha Grande (Angra), onde se trabalha “com muita vontade” para  entregar ao público consumidor um serviço de qualidade.

Quanto à receptividade do projeto e o envolvimento das secretarias e conselhos de turismo, observou que o primeiro passo é a construção do projeto, discutindo entre as cidades, com a participação dos conventions bureaus. Depois de concluído, em etapa de finalização e implementação o projeto será apresentado ao poder público para introdução deste trabalho no contexto dos outros que estão sendo implementados nos municípios e ao Contur, para que este caminhe junto. Porém, incialmente, trabalham somente os ‘conventions’, já que “esse projeto tem uma pegada exclusiva para os associados”, mas o que vendem é o destino – “que é beneficiado como isso e não somente os associados”.

Em relação ao Plano Municipal de Recuperação Econômica pós Covid-19, lançado pela Prefeitura de Paraty, disse que o Convention Bureau foi convidado para apresentação desse plano. Posteriormente enviaram material à secretaria e aguardam (há quase dois meses) o retorno. Avaliou ser um plano “bem raso, que não contempla muita coisa nem muita classe”, o que, na sua opinião, desperta o setor privado a trabalhar, a dar um passo à frente, independente do poder público, mas acentuou que estarão à disposição para contribuírem e participarem, sempre que forem convidados e solicitados.

Sobre a integração desse projeto com o título de Paraty e Ilha Grande Patrimônio Mundial pela Cultura e biodiversidade, Porto disse que isso é uma certeza, que o explorarão de maneira saudável, consciente para despertar o olhar de Paraty para quem procura biodiversidade, natureza e cultura. Sobre a quase semelhança do nome com “Passaporte Verde”, “Paraty Cultura em Verde e Azul”, falou que essa ligação de nomes se deu pela busca “de algo que remetessem às nossas montanhas, ao verde da nossa natureza e ao mar”, sendo que o que diferencia é o nome “Rota, Verde e Azul”.

Por fim, Eric Porto agradeceu ao espaço do Flitoral em nome do Convention, dos Associados e do destino Paraty, reiterando que esse é mais um dos trabalhos que vem desenvolvendo à frente desta Associação, com enorme potencial, entendendo que o privado deve sempre trabalhar e contribuir com o município, sendo isso o que busca: a integração dos poderes privado e público, e o compartilhamento de informações com outros destinos.

EXPEDIENTE:
Publicação Editoração e Comunicação – CNPJ 13701141/0001- 83; Inscrição Municipal – 43168;Jornalista Responsável -Carlos Dei S. Ribas – MTb/RJ 15.173; Conselho Editorial – João Bosco Gomes, Carlos Dei S. Ribas, Domingos M. Oliveira; Telefone – (24) 3371-9082  –  WhatsApp (24) 99972-1228; Email: flitoral@paraty.com
** As opiniões nos artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente a opinião do jornal.

Folha do Litoral Costa Verde